Crônicas De Pedro - V

Por Pedro Marques

Achei que era só uma frutinha que não tinha batido direito no liquidificador e mastiguei. Mas não lembrava de ter fruta crocante nesse mix – fodeu – travei a boca e procurei as abelhas que sobrevoavam o açaí. Antes eram três. Agora eram duas – merda – Isso tudo foi numa fração de segundos: fruta; crack; abelha e um ferrão espetado no céu da minha boca – fodeu!

Não sabia se compartilhava o que tava acontecendo ou me fazia de pleno. Ela já tinha percebido que havia algo errado. Eu tava com aquela cara de olho num ponto fixo e língua tentando alcançar o cérebro pela garganta. Foda-se o pleno. Expeli os restos da abelha num guardanapo e mostrei pra menina que tava comigo.

Achei que aconteceria alguma cena típica de filmes como Todo Mundo em Pânico com vomito pra todo lado. Mas ela é fofa. Recordou o Macaulay Culkin morrendo em Meu Primeiro Amor… acionei o dono da loja. Ele queria bancar o dentista. Perguntou se aquilo na minha boca não era um percing (?!) e sacou uma pinça que pareciam duas espátulas de pegar salada pra tirar o ferrão. Obvio que não conseguiu e pediu pelo amor de deus que não marcasse a loja dele em posts. Sugeriu uma passada no hospital: eu podia ser alérgico e acabar morrendo

Por sorte, minha companhia, que não parava de dar risada, tinha uma pinça melhor em casa e conseguiu tirar o ferrão. Curiosamente ela não me deu nenhum beijo de língua depois disso.

Segui o dia com a boca dormente e a sensação de que minha vida é algo entre Fifty First Dates e Férias Frustradas. Vou pro Buraco. Lá os drinks não tem frutas crocantes, já chegam esterilizados na boca e não tem abelhas. #PAS #elenão