Crônicas de Pedro - XX

cdb6d19c-0d60-4377-88a3-4a38077ee510.jpeg

por Pedro Marques

As músicas foram rolando e você me tirou pra dançar. Não sei se você sentiu, mas logo depois que me abraçou eu fiquei arrepiado. Não foi um cheiro perto da orelha, nem seus dedos deslizando pelas minhas costas. Foi a cena toda. Ninguém viu nossa valsa na sua sala. Só tua cachorra. E o Pôr do Sol. E tudo tava ridiculamente lindo. A luz. A trilha. Seu rosto. O abraço… Eu arrepiei e quase chorei. Era tudo tão casto e tão singelo, mas ao mesmo tempo tão envolvente. Era o contraste da maratona de sexo de horas atrás em forma de carinho. A gente não falava nada. Só se encostava. Se olhava. Era um orgasmo sem a euforia. Era tudo…

Enquanto acontecia eu ja conseguia me ver revendo isso num futuro e caíam várias fichas pra mim em cada balanço da nossa dança… tiramos fotos um do outro. Mas nenhuma ficção pode bater aquela realidade. E aqueles quase 3 minutos de I’ve got a crush on you foram na verdade eternidade.

Marcela Zanoncrônicas, Pedro Marques