As Crianças Exigem Um Planeta Habitável

Por Marcela Zanon

Parece fofo acompanhar crianças ativistas, com seus rostos pintados e carregando cartazes enquanto caminham. Não há nada de fofo na razão pela qual elas estão movimentando o mundo inteiro, gritando e exigindo mudanças. Greta Thunberg, uma ativista sueca de 16 anos, se destaca como uma das líderes do movimento. A jovem explicou suas motivações em um dos seus discursos: "O problema básico é que basicamente nada está sendo feito para deter - ou até diminuir - o colapso climático e ecológico, apesar de todas as belas palavras e promessas", disse no Reino Unido em abril. "Esse comportamento irresponsável contínuo, sem dúvida, será lembrado na história como uma das maiores falhas da humanidade".

"No futuro, a escola não importará se estivermos muito ocupados fugindo de eventos climáticos extremos", disse  Alexandria Villaseñor , uma das organizadoras das greves da escola em Nova York.

"No futuro, a escola não importará se estivermos muito ocupados fugindo de eventos climáticos extremos", disse Alexandria Villaseñor, uma das organizadoras das greves da escola em Nova York.




Saoi O'Connor , 16, do movimento Sextas-feiras Pelo Futuro, durante uma greve escolar em Cork, na Irlanda: “Toda sexta-feira eu grito da escola segurando uma placa que diz: 'O imperador não tem roupas'. É uma referência a um conto de fadas em que muitos adultos estão fingindo que algo não está acontecendo, até que um jovem fala e todos acordam com a realidade que estava bem na frente deles.”

Saoi O'Connor, 16, do movimento Sextas-feiras Pelo Futuro, durante uma greve escolar em Cork, na Irlanda: “Toda sexta-feira eu grito da escola segurando uma placa que diz: 'O imperador não tem roupas'. É uma referência a um conto de fadas em que muitos adultos estão fingindo que algo não está acontecendo, até que um jovem fala e todos acordam com a realidade que estava bem na frente deles.”


Para conhecer mais projetos liderados por jovens clique aqui, assista aos vídeos e entenda mais sobre a urgência das mudanças.

Manuela Rahal