Pontos Subversivos

Detalhe de James Merry, Nike + Jöklasoley, 2015, embroidery on vintage sportswear

Detalhe de James Merry, Nike + Jöklasoley, 2015, embroidery on vintage sportswear

Por Isabel Sachs

Subversive Stitch”, de Rozsika Parker é o livro-referência da relação entre mulheres e o bordado, discutindo a natureza contraditória dessa prática, de “subserviência feminina“ à atividade subversiva.

E, 31 anos depois da icônica exposição baseada no livro de Parker, com curadoria de Pennina Barnet, o tema é revisado pela galerista Hannah Watson, da TJ Boulting (que representa a brasileira Juliana Cerqueira Leite), com artistas contemporâneas.

“Subversive Stitch” mostra artistas que continuam a utilizar tramas com claro viés político. A seguir, alguns dos destaques para ficar de olho.

Em sua série “Emotional Field”, a artista Carolina Mazzorali apresenta os mapas do inconsciente. Ela cria os desenhos e o bordado é feito por prisioneiros, que trabalham com a organização Fine Cell Work, onde eles aprendem técnicas de bordado para aumentar a auto-estima, trabalhar disciplina e criar uma forma remunerada de trabalho.

Carolina Mazzolari, Emotional Field (void) LOVE, 2018, cotton and wool embroidery onto unprimed linen

Carolina Mazzolari, Emotional Field (void) LOVE, 2018, cotton and wool embroidery onto unprimed linen

Em seguida, Charlotte Edey traz suas criações surrealistas através da técnica jacquard, e finalizados à mão. Seus trabalhos exploram a identidade e a política do espaço dentro de cenas femininas e não naturais.

Charlotte Edey, Open, 2019, 100% woven jacquard cotton with hand embroidery

Charlotte Edey, Open, 2019, 100% woven jacquard cotton with hand embroidery

Uma edição limitada da artista Gillian Wearing faz alusão ao movimento sufragista, e busca a retomada do bordado como um trabalho feminista e não feminino. Sufragistas costumavam bordar os nomes que ao podiam voltar em peças de tecido com esta. Esta edição pretende honrar essa tradição de artesanato e ativismo, 50% dos lucros das vendas de “Courage Calls to Courage Everywhere” serão doados à Fawcett Society, que faz campanha pela igualdade das mulheres, há mais de 150 anos.

Gillian Wearing, Courage Calls to Courage Everywhere.

Gillian Wearing, Courage Calls to Courage Everywhere.

As maravilhosas tapeçarias de Olga Frantskevich retratam cenas da sua infância na Bielorrússia sob ocupação alemã, com uma técnica tradicional. Cenas aparentemente bucólicas e nostálgicas, se mostram mais sombrias.

Olga Frantskevich, The Champions, 2017, acrylic thread on cloth, Image courtesy of Gallery of Everything.

Olga Frantskevich, The Champions, 2017, acrylic thread on cloth, Image courtesy of Gallery of Everything.








As maravilhosas tapeçarias de OLGA FRANTSKEVICH retratam cenas da sua

infância na Bielorrússia sob ocupação alemã, com uma técnica tradicional.

Cenas aparentemente bucólicas e nostálgicas, se mostram mais sombrias.







Olga Frantskevich, The Champions,Champions, 2017, acrylic thread on cloth, Image courtesy of Gallery of

Everything, 112.5 x 152 cms







20182lrg.jpg
Manuela Rahal